São Gonçalinho - Aveiro

No bairro da Beira-Mar, em Aveiro, as redes lançam-se ao céu e não ao mar, para aparar cavacas doces que pagam promessas a S. Gonçalinho e são atiradas por devotos do alto da capela.


S. Gonçalinho é tido como milagreiro a tratar dos problemas conjugais de vária índole, ou mesmo a melhorar as "performances" de sedução.
Não há caso que meta medo a S. Gonçalinho, os ditames populares garantem que ...até para velhas que se sintam sozinhas arranja parceiro. Rezam as crónicas que S. Gonçalinho não fia, nem admite avarezas. Aquele que não cumprir tem de se haver com a ira do santo.

Além do inusitado lançamento de cavacas, singular também é a "dança dos mancos" feita no templo e tolerada pela Igreja, num ritual quase pagão em que homens se fazem de deficientes e cantam brejeirices enquanto bailam à roda de um banco.

via: O Público



Se fores a São Gonçalo
Trazei-me um São Gonçalinho;
Se não puderes com um grande,
Trazei-me um mais pequenino.

Ai sim, ai sim,
Ai sim, ai não;
Santo da minh’ alma,
Do meu coração.

São Gonçalo
arredai os bancos;
eu quero dançar
uma dança de mancos.
Quando os mancos
querem dançar,
que farão aqueles
que podem andar!?

Os bancos são mesmo arredados, e a súcia de folgazões, mancos de tanto beber, mimam as deformidades mais estapafúrdias, arrastando-se em círculo, enquanto o coro entoa a lengalenga. Depois pede-se desculpa... que o santo é vingativo!

Sem comentários: